Trigo e o pão nosso de cada dia, como está?

Trigo? Sim. O velho trigo.

 

Como cantava Milton Nascimento:

“Debulhar o trigo,
Recolher cada bago do trigo,
Forjar no trigo o milagre do pão…”

 

Pois então, o pão nosso de cada dia, ou a pizza, o macarrão, é uma das cadeias produtivas do agronegócio brasileiro que me dá vergonha.

 

Sim, sinto vergonha, pois o agro brasileiro, que nos levou a quase 240 milhões de toneladas de grãos, e produziu tudo dentro do país e abasteceu a população, exporta e gera bilhões de dólares, esse mesmo agro, até hoje tem uma mácula, uma ferida inexplicável.

E fica aqui a pergunta: “Por que em um país onde é consumido mais de 10 milhões de toneladas de trigo e que existe uma fortíssima cultura do pão, da pizza e das massas, um país trigueiro (sem esquecer que cerveja vem da cevada, também grande parte importada),  produzimos apenas a metade do consumo?”

 

Ou seja, importamos praticamente a metade da nossa necessidade interna.

 

E o que ocorre? Ausência de coordenação da cadeia produtiva, desde os moinhos de trigo, a indústria, até a pesquisa, a logística, e os produtores rurais e suas cooperativas.

Já temos até trigo que pode ser plantado no cerrado brasileiro, ou seja, não apenas no sul do país, mas no Brasil central.

E o que vamos ver neste ano? Provavelmente a queda da produção.

Visitei semana passada uma importante cooperativa em Santa Catarina, a Copercampos, na cidade de Campos Novos, e ali a expectativa é de diminuição do plantio do trigo por não haver preços mínimos que assegurem os investimentos, e que, ao contrário de subirem, terminarão caindo em 5%.

Ou seja, não temos uma política de governo para um produto fundamental da cesta básica da população, e ficamos então dependentes de importações.

Não precisamos ser autossuficientes em tudo, inclusive por que existem variedades específicas de trigo, assim como cafés que podem e devem ser trazidos de outras regiões do mundo e que são importantes para um blend, para uma mistura, mas temos que adquirir consciência de que dependermos de 50% de trigo que o Brasil importa.

Com certeza isso revela ausência de gestão ou interesses estranhos fora da porteira das fazendas (coisa pra ser desvendada).

 

O caso do trigo que ocorre ao longo de décadas termina sempre em pizza, e todo ano se repete. Importamos, e os produtores brasileiros mesmo podendo plantar trigo, plantam pouco e têm medo. Então, macarrão, pizza, cerveja e pão são considerados produtos de importação.

Posted by Tejon in : Tejon, Nenhum comentário em Trigo e o pão nosso de cada dia, como está?

Deixe seu comentário