Segmento de flores sofre com pandemia. Medidas de Emergência Royal FloraHolland


Por : Arie-Frans Middelburg -16 de Março de 2020

Uma medida de emergência, a Royal FloraHolland, entidade holandesa que coordena as vendas de flores na Holanda, está solicitando aos empresários rurais que forneçam temporariamente menos produtos. Para as flores de 21/03, o leilão aplica um percentual máximo de 30% do número de flores em comparação com à última terça-feira, 10 de março de 2020. Isso é 50% menos para plantas de interior e 75% para plantas de jardim.
Acima desses percentuais os produtos não serão leiloados. Além disso, as flores e plantas de qualidade A2 e B não serão mais fornecidas. Essas medidas emergenciais que regulam o fornecimento são revisadas no dia a dia com base nas informações que temos à nossa disposição neste momento .
Nas últimas duas semanas, os preços já estavam abaixo do normal, com os preços caindo até 50%. As expectativas para as próximas semanas são ainda piores. Normalmente, este é o período de pico da floricultura antes do Dia das Mães em vários países. O volume de negócios normal neste período é de 150 a 200 milhões de euros por semana
Na última sexta-feira, 13 de março de 2020, 20% do suprimento teve que ser destruído porque não havia compradores para isso. Esta manhã, esse percentual historicamente alto foi muito maior para flores com quase 50%, para as plantas foi mais de 30%. Segunda-feira, 16 de março, a oferta de relógios já estava 25% menor que o normal.
A Royal FloraHolland lamenta aos produtores que essa medida de emergência seja implementada atualmente. Nos próximos dias, será feita uma avaliação diária sobre quais medidas são necessárias em relação ao fornecimento e isso será anunciado por meio de canais de comunicação regulares.

Fonte: https://www.hortipoint.nl/floribusiness/royal-floraholland-asks-growers-to-supply-fewer-products/

Posted by Professor Cyro in : Sem categoria, Nenhum comentário em Segmento de flores sofre com pandemia. Medidas de Emergência Royal FloraHolland

Deixe seu comentário