Os dados da pandemia na Indústria da América Latina. Uma referência do Equador.

Tradução por Vinícius Bento;

O mundo industrial está enfrentando atualmente um dos maiores desafios da história moderna, o de acompanhar uma economia dinâmica e moderadamente eficiente em meio a uma crise de saúde que foi e continua sendo responsável pela morte de milhares de pessoas.

Os primeiros valores estatísticos mostrados não são animadores, no entanto, é necessário conhecê-los para que sejam desenvolvidas previsões e elaborações de estratégias que possam auxiliar na preservação de empregos.

De acordo com as previsões do FMI, CEPAL e OMC para a América Latina e o Caribe, ocorrerá uma redução entre 4,3% e 11% do PIB, para o Equador a previsão é uma redução de até 6,5%, que irá deixar o país em um cenário mais difícil que o ocorrido em 1999.

Imagem 1. Redução do PIB em % para América Latina e Equador

Em nosso dia a dia, a pandemia tem diminuído as vendas de todos os setores produtivos em 42%, de acordo com os dados de faturamento reportados ao SRI, o comércio foi o setor mais afetado com 49% de redução. As pequenas e médias empresas também estão sofrendo com reduções de vendas de 48% e 54% respectivamente.

Em um cenário onde todos estão sofrendo prejuízos por conta da pandemia, existem setores que estão sendo menos prejudicados, são neles que deve ser mantido o foco e os esforços para a recuperação da economia e da dinâmica comercial. O impacto nas vendas para o setor de alimentos e bebidas é de 22%, um número relativamente bom quando comparado com a redução analisada nos outros setores da economia.

Imagem 2. Redução das vendas em % por setor econômico atualizado

É o momento de adotar uma estratégia de sobrevivência para as empresas, muitos de nós sequer sonhamos um dia viver um cenário tão conturbado como o atual, mas gostaria de compartilhar com vocês uma compilação de estratégias que vários empresários estão adotando para seguir mantendo o seu negócio à tona e que foram mostradas através de conversas virtuais ministradas por faculdades de negócios, através de eventos que tive a oportunidade de assistir durante a quarentena.

  1. Você possui um comitê de crise? Se você não possui, faça agora! É necessário conhecer onde que a empresa está sendo mais afetada e ter uma equipe multidisciplinar que leve os indicadores para que as decisões sejam tomadas em curto prazo. (janela de 7 dias)


  2. “Dinheiro é tudo”: cuidar da liquidez da empresa, assegurar o capital de giro e acima de tudo monitorar a folha de pagamento.


  3. As despesas devem ser minuciosamente observadas, hoje mais do que nunca não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar dinheiro da empresa.


  4. Revise como estão os níveis dos estoques, a melhor estratégia é negociar com os fornecedores para que as empresas façam entregas pontuais.


  5. Associar-se é uma estratégia muito eficaz para pequenas empresas que tem como base a subsistência. Olhe seu concorrente como parceiro, avalie os seus pontos positivos e os pontos positivos dele. Podemos chegar acordos, fusões ou colaborações?


  6. Renegocie créditos e prazos com fornecedores, pois você também precisará estender crédito aos clientes.


  7. O gerenciamento-chave da crise está em cuidar de seus colaboradores, esse cuidado é visto constantemente por empresários de empresas que compartilham idéias e experiências com os diferentes grupos que compõe a empresa, com o objetivo de enfrentar os problemas. Lembre-se que a empresa é constituída por pessoas, a gestão dos recursos humanos deve ser muito organizada e flexível: deve ser mantida uma comunicação amigável, clara e que transmita apresso pelo empregado (através de gestos e palavras). Essas ações ajudarão a alcançar os objetivos de que a empresa precisa para evitar um possível colapso. Envolva-se na realidade de cada um deles e seja solidário. Invista em sua equipe, forneça garantias, transmita uma mensagem de continuidade de trabalho, de proteção ao seu colaborador.


  8. Filosofia LEAN*, revise cada um dos processos ou formas de comunicação com o cliente e otimize-os.



O caminho que deve ser percorrido para uma recuperação econômica é longo, por hora devemos nos preocupar em pontos-chaves que nos permitam seguir operando.


Ing. Ruth, Salinas, MBA


*Filosofia LEAN: é uma metodologia de gestão ou de estratégia de negócios desenvolvida no Japão com base no sistema Toyota de produção. Tem o objetivo de buscar alta qualidade, em menor prazo e com menor custo devido a diminuição dos desperdícios em todas as etapas de produção. Inicialmente essa filosofia se relacionava apenas com a indústria de manufatura, porém os seus resultados começaram a apresentar resultados tão positivos que diversos outros setores começaram a implementar essa filosofia para maximizar seus ganhos. Entre os príncipios que a definem estão: Valor (define o que é valor de acordo com a visão do cliente), Fluxo de valor (é realizada a identificação de todas as etapas que agregam valor ao produto/serviço e então são redefinidos os processos com foco em eliminar todos os desperdícios) , fluxo contínuo (estabelece um fluxo sem interrupções para os processos que restaram, a ideia é atender as necessidades do cliente de forma mais rapida, eliminando esforços e custos), produção puxada (deve-se fazer apenas o necessário e quando o cliente solicitar, evitando excessos ou desperdícios e perfeição (melhoria contínua de tudo que está envolvido no fluxo de valor, como as pessoas, produtos e processos).





Fonte: https://ruth-celeste.wixsite.com/ruthcelestesalinas/post/los-n%C3%BAmeros-de-la-pandemia-en-la-industria-ecuatoriana

Posted by admin in : Sem categoria, Nenhum comentário em Os dados da pandemia na Indústria da América Latina. Uma referência do Equador.

Deixe seu comentário