Novas Tecnologias no Agronegócio

Assimilação, incorporação e disseminação de novas tecnologias no Agronegócio

Por Vinícius Bento e Antonio Bliska – 17 de Julho de 2020

Tecnologia e Agricultura são duas palavras que a primeira vista parecem estar distantes, entretanto o panorama agropecuário brasileiro tem mostrado ao longo de sua trajetória que é através da união delas que são obtidos os melhores resultados.

A incorporação de novas tecnologias como o uso de máquinas mais potentes durante a colheita tem retornado ótimos resultados para o agronegocio.

Trajetória Tecnológica do Agronegócio

Diversos são os desafios no campo. O mundo enfrenta o paradigma da segurança alimentar. Adiciona-se ainda às alterações climáticas. Mudanças demográficas de uso e ocupação da terra. A população crescendo com maior poder aquisitivo. A baixa disponibilidade de mão de obra no meio rural. O uso e reuso de matérias primas em busca de obter o máximo possível a partir da escassez dos recursos. A tão almejada sustentabilidade.

Em busca de soluções para os problemas e na tentativa de amenizar os impactos econômicos, ambientais e sociais fazem o setor de P&D das empresas, startups e instituições públicas e/ou privadas vinculadas ao Agronegócio no Brasil, viverem tempos de ebulição. Isso tem possibilitado colocar no mercado diversos produtos e serviços inovadores que estão beneficiando diferentes cadeias produtivas. Estas por sua vez, também buscam gestores cada vez mais capacitados, melhorias na logística e na otimização dos processos produtivos. O fomento de políticas públicas mais efetivas, apresentando maior fluidez para o mercado interno e a exportação, com a abertura de novos mercados, também pode beneficiar algumas culturas ainda pouco expressivas.

Mas nem sempre foi assim. O modelo de produção rural mudou muito nas últimas duas décadas. Antes a visão que se tinha do campo eram de propriedades com pouca tecnologia, excessivo esforço manual nas lavouras, longas jornadas de trabalho e problemas que travavam o fluxo das cadeias produtivas. Como reflexo disso, havia o afastamento das pessoas, principalmente de jovens e mulheres, das atividades agrícolas, que decidiam tentar buscar novas oportunidades na cidade.


Revolução Tecnológica no Agronegócio

Nos últimos 50 anos os avanços na ciência e tecnologia foram tão grandes que possibilitaram o aumento na produção de alimentos em uma escala entre duas vezes e meio a três vezes a capacidade produtiva mundial.

Já nos tempos atuais, estamos vivendo uma revolução digital, também denominada por muitos autores como Agricultura 4.0. Esse termo tem como referência a Indústria 4.0, que avançou economicamente, devido à introdução de novas tecnologias, robótica e a substituição do trabalho manual por máquinas.

Dentro desse universo, o campo está cada vez mais conectado e em busca de obter maior produtividade por uso de terra e produzir de forma sustentável com o compromisso de fornecer alimento suficiente para suprir as futuras gerações. O jovem que antes não enxergava perspectivas no campo, agora, está mais interessado e se preparando para um futuro que caminha para o novo modelo de produção digitalizado. Mulheres que não se identificavam ou sofriam com a falta de oportunidades, estão ocupando cada vez mais cargos de liderança nas empresas do setor.


Interferências na Assimilação de novas Tecnologias

Apesar dos avanços tecnológicos, muitos agricultores ainda resistem em adquirir e implantar novas tecnologias. Essa dificuldade de assimilação tecnológica resulta de alguns fatores, a saber:

– ainda é muito comum encontrar nos ambientes familiares rurais, frases como “nós sempre fizemos assim e estamos contentes com o resultado”. Devido a essa linha de pensamento, o empreendedor rural não abre margem para testar novas ferramentas que poderiam trazer mais benefícios para sua produção. Além disso, em alguns casos existe desconfiança sobre o resultado que o produto irá entregar, devido a experiências passadas sem o devido auxílio técnico e/ou assistência adequada.

– a própria visão ou perspectiva de sua atividade econômica como sendo um mero lavrador ou produtor e não como gestor de uma empresa rural.

– tratando-se de problemas estruturais, muitas áreas rurais no Brasil ainda apresentam dificuldade para acessar a Internet, esse tem sido um fator limitante para o avanço no uso de aplicativos e sistemas de IoT para serem usados no campo.

– outro motivo que tem causado resistência não apenas em empresários rurais no campo, mas também em outros setores do Agro, é a preocupação com o alto custo inicial na incorporação das novas tecnologias. Essa preocupação ocorre devido ao resultado positivo do investimento normalmente ser observado depois de um período relativamente longo após a compra do produto.


Incorporação de Novas Tecnologias

Muitos empresários rurais que decidiram seguir através do caminho da conectividade (Internet das coisas) e adquirir novas tecnologias, estão bem satisfeitos. Apesar do investimento relativamente alto inicial, as vantagens proporcionadas estão demonstrando ótimos resultados.

Robô simulando robótica, Iot e Bigdata na Agriculture 4.0
Photo by Alex Knight on Unsplash

Diversas tecnologias já estão sendo incorporadas e fazem parte do dia a dia de muitos, como por exemplo, a agricultura de precisão; o uso de sensores; drones; biotecnologia; produtos biológicos; agricultura de baixo carbono; dados de produção georeferenciados por piloto automático; códigos e sistemas que auxiliam na rastreabilidade dos produtos; uso de gestão de riscos; sistemas com monitoramento agrometeorológico; avanços na genética animal e vegetal; sistema de plantio direto; integração lavoura pecuária; sistemas agroflorestais; uso eficiente dos sistemas de irrigação, aplicação de fertilizantes e herbicidas, entre outros. Indo ainda mais além, tecnologias em desenvolvimento como nanotecnologia, robótica e bigdata.

Algumas vantagens que podem ser observadas com a introdução das novas tecnologias são a tomada de decisão com maior taxa de acerto e rapidez durante a produção; a economia e maior aproveitamento de recursos; a redução de danos ao ambiente; a prevenção de riscos; melhorias na gestão, entre outros.

Um exemplo encontrado com incorporação tecnológica é a adubação de uma determinada área por piloto automático agrícola. Como a obtenção dos dados georeferenciados é em tempo real, é possível identificar as áreas que não receberam a dosagem adequada do fertilizante e fazer a devida correção.

Outro exemplo muito comum atualmente é o uso de drones na aplicação de agroquímicos e para mapeamento das lavouras. Com o uso das imagens obtidas é possível identificar diferenças de produtividade, irregularidade na irrigação e nas aplicações de agroquímicos e tomar a melhor decisão.


Disseminação de Novas Tecnologias

Existem diferentes formas de disseminação informacional no Agronegócio:

– muitos veículos de informação com caráter comercial usam as redes sociais para transmissão e venda de seus produtos.

Photo by Freepik

– as universidades e instituições de assistência técnica também desempenham papel importante na disseminação de informações através de feiras, projetos de pesquisa e extensão. A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) também tem sido um forte contribuinte ao longo dos anos. Atualmente possui o programa “Pontes para Inovação”, que é uma linha de apoio e financiamento com o objetivo de conectar Agritechs com investidores. Além do programa, de acordo com o presidente Celso Moretti, 60% dos projetos realizados pela Embrapa em 2020, buscam atender as demandas atuais e 40% dos projetos estão focados na indução tecnológica para as soluções futuras.



– no campo, a informação é disseminada por diferentes meios. Os principais veículos continuam sendo via rádio, televisão e mídia impressa.

– existem aqueles que através de interações sociais com “vizinhos”, encontram um ótimo meio para o compartilhamento de novas tecnologias.

– empresários rurais são atualizados sobre as novidades tecnológicas através de assistência técnica e extensão rural, em “dias de campo”.

– aqueles que possuem dispositivos eletrônicos e internet disponível, contam com websites, blogs, fórums, grupos em aplicativos e redes sociais. No entanto, carecem de apoio para discernir entre fontes confiáveis e informações relevantes, daquelas simplesmente comerciais ou sem embasamento.


Mas o que esperar do futuro, todas essas novas tecnologias que são desenvolvidas diariamente irão pertencer a todos?

Apesar de todas as mudanças e soluções inovadoras já desenvolvidas, ainda existem muitos problemas a serem enfrentados e muitos novos problemas surgirão.

Espera-se que as novas tecnologias desenvolvidas contribuam tanto com os grandes players do agronegócio quanto com os agricultores familiares, empresários rurais por natureza. Possibilitando dessa forma, a manutenção do crescimento da produtividade e da renda, com a geração de novos empregos aliado à preservação do meio ambiente.

Posted by Professor Cyro in : Sem categoria, Nenhum comentário em Novas Tecnologias no Agronegócio

Deixe seu comentário