Escalada para o Desafio Sustentável

Tradução por Vinícius Bento;

As fazendas verticais (Indoor) estão contribuindo para que os produtores alcancem incríveis níveis de sustentabilidade.

Imagine um globo de neve. Dentro dessa cristalina esfera, as condições são sempre ideais para um inverno rigoroso – até mesmo nos dias mais quentes do verão. Então, e se os agricultores começarem a seguir essa ideia e a usarem para criar ambientes de cultivo ideais e independentes que lhes permitam cultivar suas safras durante todo o inverno.

Uma abordagem tradicional de cultivo para contemplar esse desafio é a agricultura em abrigos protegidos, na qual a estrutura de vidro ou plástico (estufas) irá auxiliar no aumento da retenção de energia solar. Como resultado, a temperatura dentro da estufa permanece maior e mais estável permitindo que os agricultores cultivem “safras de verão” durante as estações frias do ano, no hemisfério norte.

Photo by freepic.diller
Fonte: br.freepik.com

Fazendas Verticais

As fazendas verticais (indoor) possuem suas vantagens, há o maior controle das condições ambientais internas e as medidas de eficiência eletrônica são levadas a outro nível. Na realidade, com uma única fazenda vertical pode-se cultivar cerca de 4 hectares (10 acres) – ou o equivalente a aproximadamente cinco piscinas olímpicas – em forma de alimentos, em uma área com menos de meio hectare de terra, tornando-a ideal para as áreas urbanas e na preservação do espaço para biodiversidade.


As Fazendas Verticais estão em evidência

Existe atualmente uma área equivalente a 204.387 m² de fazendas verticais construídas e em funcionamento ao redor do mundo, e esse valor deve aumentar quase dez vezes nos próximos 5 anos, podendo chegar a aproximadamente 2 milhões de metros quadrados.

A agricultura vertical irá substituir os outros modelos de produção agrícola? Não, mas o aumento dramático das fazendas verticais contribuirá na produção de alimentos frescos. Estes por sua vez serão produzidos em novos espaços acarretando na redução do uso de recursos naturais, dessa forma, complementando os avanços que estão sendo obtidos nos modelos tradicionais de produção de alimentos ao ar livre .

Por que está aumentando exponencialmente o interesse em fazer investimentos nas fazendas verticais? De maneira resumida, elas possibilitam um grande potencial sustentável e de segurança alimentar, pois contribui com o meio ambiente, a economia e a sociedade. Elas possibilitam que isso seja feito ao mesmo tempo que ajudam a atender uma crescente necessidade e demanda por produtos cultivados localmente.


Mudanças no cultivo protegido para proteger o meio ambiente

O benefício que tem ganhado maior destaque quando as fazendas verticais são o foco da discussão é a capacidade de conservar enormes quantidades de recursos naturais como água, terra e nutrientes enquanto há o aumento da produtividade de algumas culturas como folhosas, tomate, frutas vermelhas e ervas. Curiosamente as tecnologias empregadas nas fazendas verticais frequentemente sobrepõe-se às usadas para otimizar o crescimento das lavouras tradicionais.

A relação entre as fazendas verticais (Indoor) e a natureza é tão interessante quanto mútua. De maneira geral, as fazendas verticais criam condições ideais para o crescimento das plantas. Com o isolamento das plantas em áreas cobertas há proteção frente aos eventos extremos e severos decorrentes das mudanças climáticas e da sazonalidade. Ao mesmo tempo, esse isolamento e sistema preciso de produção protegem o meio ambiente conservando os recursos naturais e limitando seu uso. E é claro, os benefícios não param por aí.

Esse novo ambiente de cultivo pode contribuir para suprir a falta de alimentos e minimizar o desperdício de água. Os ciclos mais curtos de crescimento significam maior flexibilidade para o crescimento das plantas. E o processo controlado oferece aos consumidores um produto mais fresco, mais consistente e (em muitos casos) cultivados localmente.




Contribuindo com o crescimento econômico

A alguns anos atrás, muitos viam as fazendas verticais como algo amplamente teórico. Hoje a prática desse modelo de produção se consagra em uma grande indústria mundial, com um valor de mercado atual de $15 bilhões anuais.

Uma das maiores razões pelas quais a agricultura vertical se tornou viável, é devido ao avanço dos sensores, sistemas de energia inteligentes e outras tecnologias que tornaram a produção mais eficiente. Assim como muitas pessoas usam dispositivos “inteligentes” e automação para fazer com que suas casas fiquem mais convenientes, as fazendas verticais são normalmente automatizadas para o controle de luz, temperatura e uso de água. Esses dispositivos permitem que os agricultores otimizem as condições necessárias para a produção de alimentos que os consumidores tem interesse.

Tecnologias mais avançadas como sementes com alto potencial genético, uso de dados (bigdata), inteligência artificial (IA) e machine learning possibilitam o aumento da eficiência, economia de recursos e a redução do custo produtivo nesses sistemas.

As tecnologias modernas podem reduzir drasticamente o consumo geral de energia de plantas específicas. Alguns sistemas inclusive podem usar câmeras e sensores para acessar quando as plantas estão no estágio ideal de colheita. Identificando o momento exato da colheita de determinadas plantas, foi observado que é possível reduzir significativamente o desperdício de alimento que às vezes ocorre quando a safra toda é colhida ao mesmo tempo.

As tecnologias empregadas não precisam ser coisas de outro planeta para fazer diferença nas fazendas verticais. Até mesmo pequenas inovações, como o uso de lâmpadas LED avançadas, estão diminuindo custos, aumentando a eficiência energética, e ao mesmo tempo, reduzindo drasticamente o desperdício de calor no sistema.

Juntas, as fazendas verticais (Indoor) e os sistemas automatizados estão obtendo ganhos de 100 vezes na eficiência energética e gerando uma produção 10 vezes maior, com o uso de apenas um décimo dos recursos. Essa é uma relação de custo-benefício positiva, especialmente quando se considera que muitas dessas ferramentas digitais estão trazendo resultados semelhantes nos observadao em lavouras convencionais.


A ascensão dos padrões sociais

O avanço da agricultura vertical também está gerando mudanças sociais positivas. O motivo é a possibilidade desse sistema conseguir operar em qualquer ambiente, devido a não estar sujeito às mesmas limitações geográficas ou ambientais encontradas nas fazendas convencionais. Na realidade, elas já estão inclusive sendo construídas em comunidades que estão em áreas que não possuem acesso a mercados, lojas de conveniência e fazendas com o intuito de trazer produtos frescos para esses moradores.

Essas fazendas verticais localizadas estrategicamente para atender regiões populosas estão alterando a forma como o sistema de fornecimento alimentar regional funciona. Em ambientes urbanos os fazendeiros estão reaproveitando containers usados e prédios abandonados para fazer com que o alimento fique mais próximo da geladeira do consumidor. Essa cadeia mais curta de abastecimento reduz a dependência do uso de combustíveis fósseis usados no transporte durante longas distância das fazendas convencionais, ao mesmo tempo que reduz a perda de alimentos por danos mecânicos e deterioração natural ao longo da viagem. A proximidade das fazendas verticais em áreas mais urbanizadas também ajuda no encorajamento de novos vizinhos a fazer parte da construção de um futuro mais sustentável.

Em uma escala global, as eficiências com relação ao custo da agricultura vertical estão se tornando cada vez mais disponíveis para os países industrializados e em desenvolvimento.

Particularmente na Ásia, onde a terra fértil é limitada e não é capaz de produzir uma quantidade de alimento necessária para suprir a população, agentes do governo e empresas privadas estão apoiando pesquisas para diminuir as limitações para as fazendas verticais. O resultado? Maior segurança alimentar e um impacto significativo em toda a região – e estendendo um pouco mais, impactando também parte do mundo.


Levando a agricultura para o próximo nível

Como as mudanças climáticas e o aumento populacional continuam sendo os parâmetros para nosso sistema de abastecimento alimentar, as fazendas verticais estão surgindo como uma das soluções complementares para nossa busca coletiva pela sustentabilidade.

A empresa Bayer juntamente com Temasek Holdings com sede em Cingapura, se uniram para formar a Unfold Bio, uma empresa inovadora com foco no desenvolvimento de sementes de hortaliças com foco na agricultura vertical. Qual o objetivo deles? Produzir novas variedades de culturas combinadas com técnicas agronômicas, adequadas para ambientes internos exclusivos dessa indústria em crescimento.

Empresas como a Unfold esperam abastecer restaurantes, empresas aéreas, escolas, hospitais, prédios comerciais, lojas de conveniência e serviços de entrega on-line – tanto em centros urbanos quanto em áreas periféricas – com a produção de alimentos frescos, de forma sustentável, em larga escala porém com uma pequena pegada ecológica.

Além do mais, fazendas verticais urbanas e fazendas convencionais ao ar livre estão explorando caminhos paralelos de inovação para criar tecnologias que alimentam o potencial produtivo de cada sistema. Com esses contínuos avanços em robótica e IA (Inteligência Artificial), pessoas dos centros urbanos de países em desenvolvimento desfrutarão de uma nova relação com possibilidades, visões e recursos dessa agricultura moderna.


Fonte: https://www.cropscience.bayer.com/people-planet/global-impact/a/vertical-indoor-farms-benefits-sustainability



Pra quem tem interesse em saber um pouco mais sobre as fazendas verticais, fica como sugestão o vídeo apresentado pela Mc’Donalds Company, sobre a empresa AeroFarm com a possibilidade de legendas em português:

Posted by admin in : Sem categoria, Nenhum comentário em Escalada para o Desafio Sustentável

Deixe seu comentário