A guerra pelo poder central brasileiro

A guerra pelo poder central brasileiro, podre e corrompido, vai constituindo uma tenebrosa força que parece ampliar e atrair tudo o que não presta.

Há uma enxurrada de notícias ruins e coisas malucas. A última trata de um avião particular que teria decolado da fazenda Itamarati, no Mato Grosso, carregado de cocaína.

A repercussão fica viral. A fazenda pertence ao grupo Amaggi, do Ministro da Agricultura Blairo Maggi.

Obviamente, entrei em contato com fontes locais e a própria nota oficial da Força Aérea Brasileira, responsável pela interceptação e prisão do piloto e copiloto no último domingo (26), esclareceu que as informações sobre a decolagem dessa aeronave foram fornecidas pelo próprio piloto e que a apuração do local exato será feita pela investigação policial.

E os próprios pilotos posteriormente desmentiram terem pousado ou decolado da fazenda Itamarati. Da mesma forma, fontes nossas da fazenda Itamarati acrescentaram ter lá onze pistas homologadas e autorizadas pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil para operações de aviões que atendem mais de 54 mil ha de lavouras, e que estão espalhadas por distantes pontos da fazenda, e desconhecem qualquer pouso ou decolagem dessa aeronave de dentro da propriedade.

O Brasil está precisando de um ‘desencapetamento’, ou ‘exorcizar seus demônios’. O ambiente de guerra pelo poder podre é corrompido e quebra totalmente a confiança.

Com uma sucessão de crises na carne bovina já temos muitos pecuaristas com graves dificuldades financeiras. Quem acompanha a JBS – a maior empresa de carnes do mundo – vê o quanto está sendo destruída, perdendo recentes embargos de clientes internacionais. Isso é sim uma grave crise no agronegócio deste ano.

Os produtores que se preparam para a próxima safra, ano agrícola que tem início em agosto estão inseguros, esperando melhores definições de câmbio, de preços de commodities, de reformas fundamentais que impactam custos e segurança jurídica, além dos fatores clima e logística, tenebrosos como sempre, incluindo outra delação, envolvendo simplesmente o principal porto do agronegócio brasileiro, o Porto de Santos.

Existe insegurança, incerteza e um ambiente de perplexidade pela sucessão por uma enxurrada crescente de notícias ruins. Umas verdadeiras, outras falsas.

Com tudo isso viralizando e explodindo na percepção do brasileiro, cria um verdadeiro hospício, com danos irreparáveis à nossa saúde mental, muito mais do que a proteína animal.

Isso traz uma propensão a paralisia, a esperar, e não significa a boa esperança, e sim o cabo das tormentas.

Posted by Tejon in : Tejon, Nenhum comentário em A guerra pelo poder central brasileiro

Deixe seu comentário